" /> Pirenópolis, a charmosa cidade de Goiás - Agarre o Mundo

Pirenópolis, a charmosa cidade de Goiás

Sofia e Tiago com uma estátua do mascarado em Pirenópolis, Agarre o Mundo
escrito por Kenia Miranda

Tombada como Patrimônio Nacional, Pirenópolis é uma linda e charmosa cidade, localizada no interior de Goiás. Ela conta com um ar antigo e bucólico, misturado com uma energia moderna, devido as suas cores vivas.

Rodeada por uma natureza que complementa a beleza da cidade, o canto das araras e pássaros é o som que se ouve na cidade.

Araras em Pirenópolis - Goiás, Agarre o Mundo

História de Pirenópolis – Goiás

Nada melhor que saber sobre a história de uma cidade antes de conhecê-la. Pirenópolis, localizada no estado de Goiás, foi fundada em 1727, quando novas jazidas de ouro estavam sendo buscadas. A partir daí se deu o seu crescimento, baseado no garimpo.

Embora hoje seja uma cidade bela devido a sua arquitetura, vale ressaltar que a mão-de-obra usada era de escravos e índios. Além disso, houve um período marcado por violência e autoritarismo como em tantas outras cidades do país.

O centro urbano da cidade primeiramente desenvolveu-se ao redor da Igreja Matriz. Após a construção das outras duas igrejas da cidade (Igreja do Bonfim e do Carmo) a ampliação da cidade se iniciou.

Igreja Matriz de Pirenópolis, Agarre o Mundo
Igreja Matriz, que pode ser vista de várias partes da cidade

A cidade de Pirenópolis passou por quatro ciclos bem definidos ao longo da história. O ciclo do ouro, da agricultura e comércio, isolamento e arte, hoje vive no período da pedra e o turismo.

Apenas em 1890, a cidade oficializou o nome Pirenópolis, até o momento se chamava Minas de Nossa Senhora do Rosário de Meia Ponte.

O seu nome foi em homenagem a Serra dos Pireneus, que rodeia a cidade. Hoje, Pirenópolis conta com uma população hospitaleira e tem vários eventos festivos que atrai ainda mais visitantes.

Quando visitar Pirenópolis

A cidade é mesmo uma gracinha e tem uma culinária apreciada por muitos. Então se o foco estiver na gastronomia, vá sempre que tiver uma boa previsão de sol. Já que ninguém merece viajar com chuva.

Agora se além de conhecer a cidade o interesse é ir a cachoeiras, vá a partir de abril, lembrando que junho e julho, faz um friozinho e talvez lhe desanime entrar nas águas geladas da região.

O que visitar em Pirenópolis- Goiás

A cidade é pequena, então é fácil e possível visitar seu centro histórico e suas ruas principais em um único fim de semana. Caso deseje visitar as cachoeiras nas redondezas, pode voltar mais vezes ou ficar mais dias.

Casas antigas e coloridas de Pirenópolis

Certamente este é o maior charme da cidade. É como se o colorido das casas fosse a própria decoração da cidade. A sua arquitetura colonial, herança dos portugueses, que foi mantida ao longo de anos, com suas cores, portas e janelas grandes nos transportam no tempo.

De fato, o tamanho das janelas e portas tem uma explicação arquitetônica. Já que na época de suas construções não havia energia elétrica.

Assim as janelas alinhadas e grandes permitia a utilização do recurso natural, luz do sol. O fato das casas serem geminadas, ou seja, unidas por uma única parede com o vizinho, explica a quantidade de janelas na fachada.

Além das casas, onde vivem os moradores, a prefeitura e outros órgãos públicos também mantêm a arquitetura colonial da cidade.

E suas cores?

Se tem uma coisa que sou, é curiosa. Então busquei logo saber sobre as cores e quem paga para a cidade ficar tão linda.

Ainda não consegui descobrir quem banca a pintura, mas como o turismo favorece a todos, isso também não importa tanto.

Agora sobre as cores, que são tão bonitas. Saiba que existe uma recomendação do Iphan sobre a escolha das mesmas. Existe assim, uma paleta de cores que pode ser escolhida pelos moradores.

Como o que prevalece é o branco, que no período colonial era basicamente usado o cal, as cores nas portas e janelas, destacam ainda mais.

Igreja Matriz de Pirenópolis – Goiás

Conhecida como Igreja Matriz, na verdade tem como nome Igreja Nossa Senhora do Rosário, em homenagem a padroeira de Pirenópolis.

Uma Igreja linda, que fica localizada num ponto alto da cidade, construída em 1728.

Embora tenha passado por dois eventos traumáticos durante a sua longa história de vida, segue com a sua beleza, externa e internamente.

Com a chegada dos bandeirantes após a descoberta de ouro na região, esta igreja começou a ser construída pelos próprios mineradores. Tombada como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1941.

Uma curiosidade sobre a igreja: a mesma foi construída de tal forma que a qualquer hora do dia o sol ilumina a sua fachada.

Igreja Nosso Senhor do Bomfim

Assim como a Igreja Matriz, esta igreja não passará desapercebida diante dos seus olhos. Uma igreja tipicamente de colônia portuguesa, com suas duas torres, que foi construída entre 1750 e 1754.

greja Nosso Senhor do Bomfim Pirenópolis, Goiás, Agarre o Mundo

Sua beleza é complementada pelos coqueiros, se não me engano, são butiris, localizados a sua frente.

Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Sabe aquela frase, “Quem vê cara, não vê coração?” cabe perfeitamente aqui. Quem vê esta igreja de fora, não tem noção da beleza e riqueza do seu interior, principalmente pelo seu estilo Rococó.

Igreja Nossa Senhora do Carmo, Pirenópolis- Goiás,  Agarre o Mundo

Construída também entre 1750 e 1754, próxima ao Rio das Almas, local de uma vista deslumbrante tanto da cidade, quanto da Igreja Matriz.

Ponte do Rio das Almas – Pirenópolis

É uma ponte antiga, construída entre 1899 e 1903, que dá acesso para outro lado da cidade.

Sendo a passagem muito estreita, e para os motoristas não tão preparados, saiba que pode danificar os veículos.

Para se ter uma ideia, estes dois paus, localizados na entrada da ponte, estão danificados devido, a quantidade de retrovisores que passaram por ali. (risos)

No centro da cidade, também existem uns paus, permitindo apenas que carros pequenos se locomovam por ali.

O Rio das Almas passa por vários municípios de Goiás, nasce no limite do Parque Estadual da Serra dos Pireneus, exatamente no município do Pirenópolis.

As Cavalhadas de Pirenópolis – Goiás

Apesar de não ter assistido as cavalhadas de Pirenópolis, como uma pessoa curiosa, busquei entender o porquê de tantas estátuas de homens mascarados espalhadas pela cidade.

Embora, seja hoje, considerada uma grande manifestação cultural do Brasil, sendo que das mais representativas é a cavalhada de Pirenópolis, a história não é tão bonita assim.

Já que durante a dinastia de Carlos Magno no final do século VIII d.C., o mesmo, de religião cristã batalhou contra os Islâmicos que desejavam invadir o sul da França.

As representações foram trazidas para o Brasil por portugueses e espanhóis. Assim, cada região do Brasil tem a sua própria configuração da Cavalhada.

Colocando em destaque a minha sinceridade. Seria muita ousadia da minha parte, tentar escrever neste artigo um conteúdo tão extenso e com tantos detalhes.

Só para se ter uma ideia o assunto já fez parte de vários estudos, entre eles, o estudo do escritor Carlos Rodrigues Brandão, sobre as representações de cristãos e mouros em Goiás.

E como o próprio Brandão ressalta, a festa traz uma mistura de folclore religioso e festas profanas que tendem a crescer principalmente em favor do componente turístico. Já que anualmente atrai cada vez mais turistas.

Natureza da região ao redor da cidade de Pirenópolis

Eu sou suspeita para falar do Cerrado, pois cresci na região e adorava aprender sobre as árvores retorcidas que faziam parte do meu dia a dia.

A saber, acho lindas as árvores frondosas, mas as que realmente me chamam a atenção são as que passam a seca sem nenhuma folha em seus galhos.

E ainda mais as que sem nenhuma folha, mostram as suas cores como os ipês e demais flores do cerrado. Sem falar, da fauna que também cresci aprendendo a admirar e respeitar, como cobras, tatus, lobo guará, veados e as inúmeras aves.

A Serra dos Pireneus é uma formação planáltica localizada entre os municípios de Pirenópolis, Corumbá de Goiás e Cocalzinho.

Cidade Pirenópolis- Goiás, Agarre o Mundo
Por do sol da Igreja Nosso Senhor do Bonfim

Existem inúmeras nascentes de águas límpidas nesta Serra, sendo responsável por duas grandes e importantes bacias hidrográficas, indo para o Rio Tocantins e Rio Paraná.

Com um grande número de atividades ecoturísticas, a cidade desenvolveu no ramo, oferecendo a possibilidade de visitar cachoeiras e trilhas ecológicas.

E ao mesmo tempo, Pirenópolis lucra com a extração da pedra que leva seu nome, muito usada da construção civil.

Cuidados com a natureza

Não sei informar se a preocupação e controle do número de visitantes nas cachoeiras é devido ao período de pandemia ou se realmente é uma preocupação com a preservação do meio ambiente.

Espero mesmo que esteja relacionado com o meio ambiente, já que dependem da conservação da biodiversidade que é a base da sustentabilidade dos recursos naturais, ambientais, florestais e do ecoturismo.

Cachoeiras da Serra dos Pirineus – Arredores de Pirenópolis – Goiás

Apenas visitei a cachoeira das Araras, pois a mais famosa (Abade), já estava com o número de visitantes na capacidade máxima. Não precisa de trilha para chegar até a cachoeira, já que o estacionamento ao lado do restaurante fica bem próximo.

Tem um parquinho para as crianças na entrada, e é possível aproveitar bastante enquanto as crianças também tomam banho na beirada do poço formado, já que é bem rasinha. Entretanto, não entramos, pois a água estava mesmo muito fria.

E apesar de ter apenas visitado a cachoeira das Araras, posso afirmar que existe uma infinidade de atrações voltadas para o turista que pretende entrar em contato com a natureza.

Aqui deixo uma única recomendação que na verdade é mesmo uma solicitação. Cuide do meio ambiente, pois se cada um de nós fizermos a nossa parte, o planeta viverá por mais tempo.

Não deixe lixo por onde passar, não carregue no retorno nada além de fotos e boas lembranças.

Restaurantes

Rua do Lazer

Existe na cidade a Rua do Lazer, que é onde se concentra a maior parte dos restaurantes e lanchonetes da cidade. Durante a noite, são postas mesas e cadeiras na calçada e com a iluminação, o local fica ainda mais charmoso.

Apesar da Rua do Lazer estar bem convidativa, não achei muito propício para me sentar com as crianças, primeiro, porque estava cheio. Assim preferi buscar a recomendação de uma amiga que já morou na cidade inclusive trabalha na área da gastronomia. E como não poderia ser diferente, indicou diversos lugares.

Restaurante Martinez

Das indicações recebidas, conseguimos ir ao Restaurante Martinez, que serve uma comida bem gostosinha mesmo. Um ambiente aconchegante na calçada. Fica localizado ao lado da Igreja Nosso Senhor do Bonfim.

Buteko do Chaquinha

Outro restaurante recomendando, mas agora, pelo dono na pousada onde ficamos e que gostamos bastante foi o Bukeco do Chaquinha. Um restaurante grande e bem espaçoso, conta com um escorregador, mesmo que de plástico, para as crianças.

Além da história do Chaquinha que é contada na capa do cardápio, o restaurante conta com música ao vivo e garçons super prestativos. Caso resolva sair da rua do Lazer e ir até o Buketo do Chaquinha, peça a farofa com banana da terra.

Se você é como eu que gosta de uma mistura de sabores, provavelmente gostará desta farofa que além da banana da terra frita, leva bacon, semente de baru e farinha.

Restaurante Origem

Por último, fomos ao Origem, um restaurante que fica a beira Rio, não é o local que tem a melhor e mais saborosa comida, mas é um lugar agradável e gostamos também da comida. Ou seja, nada a reclamar.

O que mais gostei no restaurante foi o cantor que estava no dia. Aquele senhor que está ali na janela. Que se preocupou com a altura do som e tinha uma voz para lá de agradável.

Assim, tivemos uma combinação perfeita de som baixinho, música agradável e uma voz suave nos fez um convite para passar bastante tempo no local.

Restaurante Origem Pirenópolis - Goiás, Agarre o Mundo
Cantor na janela e um paizinho que sentou-se mais próximo com a sua filha para ouvir

A sensibilidade dele me deixou boquiaberta. Ao perceber que três das cinco mesas ocupadas até o momento, tinham crianças, ele, então mudou o rumo da conversa.

Perguntou o nome das crianças e dedicou três lindas canções conhecidas por elas, começando por “Alecrim, alecrim dourado que nasceu no campo sem ser semeado”.

Certamente esta será a cena que me virá a cabeça ao me lembrar da cidade de Pirenópolis.

Onde se hospedar

Pirenópolis é uma cidade tão turística, que não faltam opções de hospedagem. Como estávamos com filhos, eu tinha três opções, pois o que eu desejava além de conhecer a cidade era ter ao menos uma piscina para as crianças se divertirem.

Além disso, precisava que esta piscina fosse ao menos aquecida, pois em julho na região faz frio, lembrando que neste período estamos no inverno.

Então minha escolha ficou no Sanctuary Pirenópolis. Apesar das piscinas tanto interna, quanto externas não estarem quentes, o gelo havia sido quebrado, a ponto das crianças entrarem ao menos uma vez.

Hotel Sanctuary Pirenópolis - Goiás, Agarre o Mundo

O que mais gostei do hotel foi mesmo o quarto. Pois além de espaçoso, tem uma cadeira na varanda de todos os quartos. Na nossa varanda tinha além de duas cadeiras este colchão.

Claro, que como uma boa relatora, preciso confessar que o fato de ter apenas dois canais na TV me incomodou um pouco, pois entreter as crianças enquanto se arruma para sair, ou entre o banho de um ou outro, seria legal ter ao menos canais que passassem desenho.

Mas esta é uma queixa de mãe e talvez não seja problema algum para quem deseja mesmo estar na companhia apenas dos seus e realmente se desconectar. Foi também uma pena terem interditado a brinquedoteca um dia após a nossa chegada.

Hotel Sanctuary Pirenópolis - Goiás, Agarre o Mundo

Quando for novamente, indico aqui outros hotéis, já que temos a intenção de voltar para conhecer também a Pousada dos Pireneus e a Villa dos Pireneus.


Então, vamos a Pirenópolis- Goiás?

Você conhece a região? Se não, vale a pena conhecer.


Selamos pela qualidade da sua leitura

Optamos por manter o site limpo de propaganda, pois acreditamos na nossa missão de levar um conteúdo de qualidade e não seria justo com o leitor ter várias caixas de distrações. Entretanto, se você quiser colaborar com o site do Agarre o Mundo, pode organizar toda a sua viagem através dos nossos parceiros, e você não gastará nenhum real a mais por isso e ainda ganhará desconto em alguns serviços.

Parceiros Agarre o Mundo

Saiba que podemos lhe ajudar em toda a sua viagem, e ainda se desejar um roteiro para curtir sua viagem, sem nenhum trabalho para organizar, basta contactar com o Blog.

Montamos desde roteiro personalizado e exclusivo conforme o perfil do viajante, até uma viagem completa, incluindo restaurantes, dicas de compras, chip, etc.

Beijinhos e até mais.



Kenia Miranda

Brasiliense, sempre disposta a aprender e descobrir o novo, com um apreço enorme por novas culturas e costumes. Apesar de ser formada em Odontologia, está sempre buscando novos caminhos e novos aprendizados. Uma das suas frases preferidas: "Minha alma é muito livre para ficar presa seja lá no que for."

Veja também

Compartilhe


Deixe uma resposta

VOLTAR AO TOPO
error: Content is protected !!