" /> Dublin, a cidade jovem, vibrante e intensa - Agarre o Mundo

Dublin, a cidade jovem, vibrante e intensa

Parquer em Dublin
escrito por Ayala Lopes

Dublin, capital da Irlanda, uma cidade conhecida por seu ar jovem e vibrante, que apesar de ter grande diversidade cultural, mantém um ar de cidade do interior.

Fundada pelos vikings há mais de 1.000 anos, Dublin está entre as cidades mais antigas da Europa e chegou a ser parte do Império Romano.

Dona de um IDH ( Índice de Desenvolvimento Humano) elevado, Dublin é o destino de vários brasileiros que desejam estudar inglês na Europa e ao mesmo tempo, daqueles que desejam um país europeu para trabalhar e viver.

A população é bem simpática e tranquila, sempre pronta para receber seus visitantes, além disso, parece que estão sempre se divertindo, seja num café, num parque ou num bar com sua cerveja, afinal, a Irlanda é um dos maiores consumidores de cerveja do mundo.

Aliás a música irlandesa tem grande influência neste contexto, pois é super fácil sair à noite e encontrar pubs com excelentes bandas tocando de graça.

Dublin Castle
Castelo de Dublin

Por ser uma cidade antiga, tem vários prédios históricos, como o Castelo de Dublin, datado do século 13, a imponente Catedral de St. Patrick, fundada em 1191 e o Museu Nacional da Irlanda.

Amantes da qualidade de vida, a população também desfruta da natureza presente.

Assim, mesmo localizada numa região costeira, a cidade é cercada por montanhas e ainda tem lindos parques, como o St Stephen’s Green e o grande Phoenix.

De fato, Dublin possui o tamanho ideal, nem tão grande a ponto do ritmo acelerado lhe trazer a sensação de que a vida é uma correria, nem tão pequeno a ponto de deixar seus moradores entediados.

Curiosidade: As portas coloridas

Cartão postal de Dublin, as portas coloridas que estão espalhadas por toda a cidade, são cercadas de lenda e história.

Em estilo georgiano, fazem parte de muitas residências. Segundo a história, com a morte do Príncipe Albert, a sua esposa Vitória entrou em profunda tristeza e ordenou que as residências fossem cobertas de bandeiras pretas.

Dessa maneira, em forma de protesto, pois o reinado da rainha Vitória foi cercado de muita pobreza, um irlandês coloriu sua porta, sendo seguido por outros moradores.

Mas existe outra versão. Contam que a ideia de pintar as portas de cores diferentes, surgiu das esposas angustiadas e já cansadas de buscar os maridos bêbados em casas erradas.

Portanto, pintá-las de diferentes tons foi a solução para diferenciar residências que eram praticamente iguais e bem próximas umas das outras.

De fato, ninguém sabe a real origem das portas coloridas que se mantém até hoje e que dão um belo cenário para fotos.

E para nos contar um pouco da vida da cidade de Dublin, e nos falar de todas as atrações que a mesma oferece, convidamos Ayala, @lifebyayala, uma baiana que vive por lá desde 2018.

Sobre Ayala Lopes

Ayala Lopes, Dublin

Olá. Meu nome é Ayala, sou baiana, de uma cidade do interior do sertão. Jornalista por formação, atuei na área de Comunicação e Marketing Digital durante anos.

Desde pequena tenho o costume de viajar e sou louca por conhecer culturas, culinária e lugares diferentes.

Já morei em mais de 7 cidades diferentes pelo mundo e entre uma experiência internacional e outra, decidi sair do Brasil por tempo indeterminado.

Assim, moro na Irlanda. Moro aqui desde 2018, já trabalhei numa cafeteria e agora numa enoteca, loja-restaurante especializada em vinhos mundiais. Trabalhar com essas 2 paixões era um sonho antigo meu.

Próximos passos? Continuar fora do Brasil para aprender tudo que ainda está na minha lista de 2018 e ir onde o melhor vento me levar!

Dublin é sinônimo de…

Dias cinzas e frios, que eu particularmente amo! Assim como Dublin é sinônimo de história medieval e efervescência da vida noturna entre os pubs.

Dublin

O que lhe levou a morar em Dublin?

Decidi sair do Brasil em 2018 e a Irlanda foi cogitada por ser a opção mais em conta na época e ainda ficava na Europa.

Sempre morei em grandes centros e não me imaginava morando em outro lugar, que não fosse a capital do país. De fato, aqui havia mais empregos, escolas e vida social.

Dublin é uma boa cidade para se morar? Como é o clima?

Dublin definitivamente não é a cidade se você curte praia e sol, ou natureza no meio da cidade grande.

Pois ela é chuvosa, cinzenta e úmida na maior parte do ano. Mas eu adoro frio, neve, então não tenho problemas com o clima.

A saber, o país tem um dos maiores salários da Europa por hora (10 euros) e atrai muitas multinacionais da área de tecnologia como Facebook, Pinterest, Tik Tok etc.

Se você é dessa área ou de contabilidade, com toda a certeza, achará mais vagas de trabalho.

Além disso, a segurança aqui ainda é melhor que a brasileira, tem muitos parques públicos e está se desenvolvendo muito, tanto econômica, quanto culturalmente.

Quando mudamos de cidade estudamos um pouco sobre suas características. Dublin superou suas expectativas ou deixou a desejar?

Vim morar aqui sem saber muito sobre o país ou a cidade, então, tudo que eu via no início era interessante.

Dublin

Porém, o que sentia e ainda sinto falta são mais opções de lazer e espaços culturais, pois eu que morei anos no Rio de Janeiro e São Paulo, amo uma cidade multicultural e cheia de opções.

Qual a característica de Dublin que mais lhe agrada?

Acredito que, principalmente, o fato de ser uma cidade pequena para uma capital de um país.

A Irlanda inteira tem um pouco mais que a população de Salvador e região metropolitana, então, eu adoro encontrar restaurantes internacionais, parques, cafés e museus, sem viver numa megalópole poluída, cheia de workaholics!

Dublin

De fato, o pessoal aqui também tem um ritmo de vida bem tranquilo e isso é ótimo!

O que mais foi difícil para se adaptar? Teve alguma dificuldade em relação à cultura local?

Eu diria, principalmente, duas coisas. Em primeiro lugar, o inglês daqui, que não é nem britânico, nem lembra o americano.

Eu chamo de inglês-irlandês mesmo, pois tem todo um sotaque e palavras só deles. Além disso, eles falam rápido e para dentro, não entendo quase nada até hoje (risos).

Em segundo lugar, a burocracia inicial de abrir conta em banco, acertar as taxas de contribuição com o Departamento da Fazenda deles, sem falar do maior temor do imigrante: a busca por um quarto/casa.

Ayala em Dublin
Foto: @lifebyayala

Quais as características mais marcantes do povo de irlandês?

De fato, os idosos são super gentis e adoram bater papo nas ruas e ônibus. Adolescentes são mais reservados e mudam de humor a cada dia, ou seja, podem conversar contigo hoje numa boa e amanhã mal te darem um bom dia.

Sem dúvida, dubliner adora ser daqui e têm orgulho de sua história.

Existe algo especial que o turista não deva fazer?

Existe sim, então turista, atenção: não compare a Irlanda à Inglaterra nem façam qualquer menção ou piada sobre a época em que o país era parte do Reino Unido. Pois isso, ainda é meio polêmico e divide opiniões por aqui.

Quem vai à Dublin não pode deixar de …

Certamente, conhecer a região do Temple Bar com seus becos, pubs centenários, com músicas celtas e irlandesas tocando ao vivo.

Além disso, visitar o Phoenix Park, que é o maior parque público da Europa, lá tem a casa do Presidente, o zoológico do país, a Cruz Papal, erguida quando João Paulo II esteve aqui, sem contar nos cervos que se aproximam em busca de cenouras.

Aliás vale muito a pena fazer, também, um tour a pé pelos prédios mais antigos da cidade como A Trinity College, o Spire, o GPO (Correios Central), o Castelo de Dublin e as Catedrais centenárias.

Como você organizaria um roteiro de 3 dias, para o seguidor do Agarre o Mundo para que ele aproveite ao máximo Dublin?

1º dia: conhecer os monumentos e prédios mais famosos da cidade, fazendo um tour a pé mesmo, já que fica tudo bem pertinho.

Em seguida, à noite indicaria jantar no The Hairy Lemon, um pub meio irlandês, meio americano, que tem uma comida excelente.

The Hairy Lemon
Foto: @the_hairy_lemon1

2º dia: café da manhã irlandês no Temple Bar Pub e mais um dia de passeios pelo Phoenix Park e na Kilmainham Goal – Prisão (para entender um pouco mais sobre a Guerra de separação irlandesa).

À noite, um mini pub crawl pela região do Temple bar.

3º dia: um passeio de trem para Bray – Greystones, uma caminhada à beira mar, terminando com um almoço ou brunch num bom restaurante com um típico “fish & Chips”.

Greystones - Bray
Caminhada Greystones – Bray

Dublin é uma cidade cara para viver e turistar?

É uma cidade cara, tanto para morar, quanto para “turistar”. O custo de vida é alto, mesmo para nós, que ganhamos em euros.

Dublin

Sendo assim, moradia, aquecimento a gás e transporte público se tornam os itens mais caros.

Por outro lado, telefonia, mercado, gasolina, cosméticos, itens importados são mais tranquilos de consumir.

Eu acho os museus e atrações pagas bem caras pelo tamanho e relevância do museu ou monumento. De tal forma que muitos dos nativos não conhecem esses lugares pagos.

Como turista eu focaria em fazer o máximo de coisas grátis, pois tem bastante opção, e pagaria apenas os lugares imperdíveis.

Um lembrete para turistas: a hospedagem não é tão cara, já a alimentação eu diria que é, se comparado a comer e beber bem, em países como Portugal, Espanha e Itália.

Comida nos move. Quais especialidades gastronômicas mais se destacam em Dublin?

Sem dúvidas não podemos deixar de falar do Full Irish Breakfast – que nada mais é que ovo com gema mole, feijão com molho de tomate, salsichas, cogumelos salteados, pudim branco e preto – que é uma delícia se você não souber como são feitos. (risos)

Full Irish Breakfast
Foto: @lifebyayala

Outra coisa, não deixe de provar a Guiness e uma Sidra irlandesa, assim como os pastries ou doces de padaria.

Entre estes, vale ressaltar que os famosos por aqui são o caramel slice (bolacha de caramelo com crosta de chocolate), o shortbread (uma broa com gotas de chocolate) e o bolo de cenoura que é o meu doce preferido daqui.

Hoje é um dia especial, que local nos levaria para jantar em Dublin?

Uau. Aqui há tantos lugares legais e diferentes, mas acho que eu os levaria para uma enoteca subterrânea que fica no centro da cidade, que tem toda uma atmosfera casual chic dos anos 70.

Além disso, tem uma música boa, mas dá para conversar sem barulho alto e a comida é barata e excelente!

Um ou mais locais para um bom café da manhã e almoço na sua cidade?

Café da manhã, sem dúvida, no Hairy Lemon, no centro da cidade. A saber, o ideal é tomar o café por volta das 11 horas da manhã e provar ele com uma boa cerveja Guiness. É barato e delicioso!

Guinness
Cerveja Guiness. Foto; @lifebyayala

A Irlanda de forma geral não tem pratos típicos para almoço, então, eles comem qualquer burrito, salada ou fast food.

Em meio a essa falta de comida local aqui em Dublin, indico almoçar no Mongolian Barbecue no Temple Bar ou no Yamamori na South George Street.

Vale a pena também, pegar o trem até a cidadezinha de Dun Laoghaire (ler: dã liuri) e comer no The Forty Foot à beira-mar.

Cidade de Dun Laoghaire
Cidade de Dun Laoghaire

Algum local com refeição saborosa com o valor mais em conta?

A rede de Cafés KC Peaches, trabalhei lá e indico o almoço ou café da manhã, pois a comida é boa, diversificada e tem self-service no almoço. Os estudantes da cidade fazem fila por lá.

Qual é a melhor região para hospedagem em Dublin?

Eu diria que entre a região de D1 ou D2 (as regiões são divididas por números e lado norte e sul). Essas duas são as mais centrais, de tal forma que você encontra restaurantes, conveniência, vida noturna e muitas atrações turísticas.

The Shelbourne, Autograph Collection é um daqueles hotéis que não vende a hospedagem e sim uma experiência, o mínimo esperado de um hotel 5 estrelas.

The Shelbourne, Autograph Collection

Que lugar você sugere para badalar à noite em Dublin?

Com toda a certeza, indico fazer uma maratona de visita aos pubs mais antigos e famosos como: Temple Bar Pub, Bad Bobs, The Quays.

Embora, sugiro passar também no pub ali perto, que chama O’ Neills para ver uma apresentação ao vivo da famosa River Dance (dança típica do país).

Quais os melhores lugares para fazer compras em Dublin?

Eu super indico sair de compras pela Grafton Street, pois é tipo uma Oscar Freire de São Paulo com marcas internacionais, e a Henry Street com seus três shopping centers. Aqui é barato comprar coisa boa!

Indica algum bate e volta partindo de Dublin?

Indico vários bate e volta que dá para fazer de ônibus ou trem. Fazer uma caminhada Bray-Greystones Howth e seus mini cliffs, que nada mais são que penhascos a beira mar.

Mini Cliffs
Mini Cliffs

Além disso, conhecer a cidade de Skerries e seus moinhos tipo holandeses.

Assim como a cidade Dun Laoghaire com o pier e o Parque do povo, que é ótimo para um piquenique.

Blackrock com o parque público – delicioso para ler e fazer um piquenique- e o mercado de comidas internacionais e antiquários.

Blackrock

Dublin é uma cidade segura para morar e passear?

Como muitas outras cidades da Europa, Dublin é ainda mais segura que a maioria das cidades brasileiras.

Dublin

De tal forma que ainda dá para andar a noite depois de uma festa, numa boa. E as atrações turísticas são super tranquilas de conhecer pela cidade.

Existe algum ponto turístico que você não recomendaria?

Para quem mora aqui, sabemos que alguns bairros são mais perigosos que outros, à noite. E há pequenos furtos pelo centro durante o dia.

Infelizmente, a xenofobia está mais evidente. Aqui também ficamos ligados em alguns grupos de adolescentes que circulam pelo centro, fazendo arruaça, ou seja, gritando, andando de bicicleta pelas calçadas, etc.

Sempre temos um lugar especial, que vamos com frequência, seja um parque, um café ou outro lugar. Qual é o seu lugar especial em Dublin?

Eu não conseguiria dizer “o lugar especial” pois tenho alguns. (muitos risos)

Então vou te responder que, no geral eu amo sentar numa cafeteria charmosa, quentinha e sossegada. Aliás é onde vou para ler um livro, estudar, conversar com amigos, ou apenas para ver a vida passar.

Então eu indicaria: Café Alma (na South Circular Road), o Nero da Dawson Street e o Café que fica dentro do Phoenix Park.

Café Alma, Dublin
Foto: @alma.dublin

Qual a maior dificuldade para uma mãe que deseja visitar Dublin com seus filhos pequenos?

Não vejo muitas atrações turísticas voltadas para crianças, pois é uma cidade famosa pelos pubs e cerveja, além de museus de adulto, pela história medieval, Vikings e toda a fama da Literatura Irlandesa.

Pub em Dublin

No mais, as ruas são super acessíveis para carrinhos de bebês, restaurantes e bares tem cadeiras para crianças, menu especial para os pequenos. É super comum ver famílias inteiras nas mesas de cafeterias.

Entretanto, os parques são ótimos para elas correrem, pedalarem, fazer um piquenique. O Museu de História Natural (que é o Museu de animais empalhados pré-históricos), além do zoológico que fica no Phoenix Park.

O que mais você sente falta do Brasil?

Como uma boa baiana que sou, sinto falta de comidas típicas da Bahia, além das praias com água quentinha e as festas de São João e inegavelmente do carnaval. Ah, sem falar da família grande, reunida aos domingos!


Antes de acabar este post, deixamos aqui uma playlist de músicas irlandesas para que você possa entrar no clima do país.

Basta clicar aqui: Irlanda – Agarre o Mundo.

E assim terminamos o post sobre Dublin

Sem dúvida, Dublin vai lhe impressionar, já que está voltada para o turismo e assim, sempre tem algo novo para ganhar o turista.

Você já esteve em Dublin? Se não, tem vontade conhecer?

Aliás, se tiver dicas para compartilhar conosco e com outros leitores, agradecemos. Ah, sugestões e críticas também são bem-vindas!

Então, você gostou das dicas, confira também os artigos de brasileiros que vivem em outras cidades espalhadas pelo mundo: Turquia, Orlando, Boston, Madrid e Antuérpia, entre outras.

Se puder deixar o seu like no fim do artigo, agradecemos, pois isso ajuda a levar nosso conteúdo a mais pessoas e principalmente saberemos que você gostou do que leu.

Além disso, se desejar saber mais novidades sobre o Agarre o Mundo, é só acompanhar através das redes sociais, seja bem-vindo(a).

Nota da editora: este texto é colaborativo, portanto as dicas e sugestões de passeios não são do Agarre o Mundo, que permanece sendo contra qualquer atividade que envolva animais, como o zoológico que foi citado.


Selamos pela qualidade da sua leitura

Optamos por manter o site limpo de propaganda, pois acreditamos na nossa missão de levar um conteúdo de qualidade e não seria justo com o leitor ter várias caixas de distrações. Entretanto, se você quiser colaborar com o site do Agarre o Mundo, pode organizar toda a sua viagem através dos nossos parceiros, e você não gastará nenhum real a mais por isso e ainda ganhará desconto em alguns serviços.

parceiros

Saiba que podemos lhe ajudar em toda a sua viagem, e ainda se desejar um roteiro para curtir sua viagem, sem nenhum trabalho para organizar, basta contactar com o Blog.

Montamos desde roteiro personalizado e exclusivo conforme o perfil do viajante, até uma viagem completa, incluindo restaurantes, dicas de compras, chip, etc.

Beijinhos e até mais



Ayala Lopes

Baiana, de uma cidade do interior do sertão. Jornalista por formação, atuou na área de Comunicação e Marketing Digital durante anos. Desde pequena tem o costume de viajar e é louca por conhecer culturas, culinária e lugares diferentes. Assim, mora na Irlanda desde 2018. E quer saber os sobre os seus próximos passos? Continuar fora do Brasil para aprender tudo que ainda está na sua lista de 2018 e ir onde o melhor vento a levar!

Veja também

Compartilhe


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

VOLTAR AO TOPO
error: Content is protected !!