" /> Complexo do Canjica é possível com crianças? - Agarre o Mundo

Complexo do Canjica é possível com crianças?

Complexo do Canjica com crianças, Chapada do Veadeiros
escrito por Kenia Miranda

A pergunta que mais escuto, cabe perfeitamente neste artigo: Posso ir ao Complexo do Canjica, na Chapada dos Veadeiros, com as crianças?

Se você é mãezinha como eu e tem loucura de se manter em movimento, deve ter pensado por algum momento: eu queria visitar, mas como faço para levar meus filhos?

Nunca, em momento algum, tenho em conta “deixo as crianças e vou sozinha”, porque a atração não é para eles. Claro, que se desejar, posso viajar sozinha com o marido. Mas sinceramente, a infância e adolescência passam tão rápido, e essa é a minha motivação para compartilharmos momentos juntos em família.

Instinto de sobrevivência

Confesso, que tenho muito cuidado na preparação de uma viagem, em relação a segurança deles nas atrações. Mas não sei se já contei para você em algum artigo por aqui, que meu pai tem uma chácara, onde na minha infância íamos TODOS os finais de semana.

Éramos crianças e segundo minha mãe, impossível manter todos debaixo dos seus olhos. Então, ali o meu instinto de sobrevivência foi ativado e treinado.

Livrei meus irmãos mais novos e eu de estarmos hoje, debaixo da terra. Ao ouvir um barulho estranho e a água do rio começar a ficar suja, comecei a gritar e mandá-los saírem correndo da água. E em questão de segundos, uma tromba d’água arrastou tudo.

Meus irmãos e eu mapeamos todas as cachoeiras nas proximidades da chácara, claro que a primeira vez que fomos a uma delas, no topo na montanha, estávamos com nossos pais. E assim aprendemos o caminho. Nas 1877 vezes seguintes íam apenas crianças e adolescentes.

Riscos constantes!

Cobras, risco de quedas sempre existiram, mas confesso que a sensação de liberdade era também algo indescritível. Hoje, entendo a gana que todos nós aqui em casa temos de colocar nossos filhos também em contato com a natureza.

Claro, que sempre presentes, pois além dos riscos ainda existentes, tantos outros apareceram. Como, por exemplo, humanos que não foram amados o suficiente na infância deles para respeitar as nossas crianças. Uma pena, pois eu realmente tive uma infância de ouro.

Sempre brinco com a minha mãe que ela só podia ter um pacto direto com Deus, pois foi Ele quem manteve seus 4 filhos vivos. De fato, quando escuto as histórias da infância dela, percebo que a minha apesar de divertida, não teve nada a ver com a infância dela, que foi muito mais intensa e cheia de aventuras.

E aqui agradeço a tecnologia para que este artigo chegue até você. E também agradeço a minha vontade de ir para lugares onde a mesma ainda não chegou. Assim, meus filhos têm a possibilidade de viver fora das telas. Criando momentos reais e desenvolvendo o cérebro da maneira como deve ser.

Porque resolvi falar tudo isso ao invés de responder se é possível conhecer Complexo do Canjica com crianças?

Para que você entenda, as viagens que faço com meus filhos, assim como as aventuras, não são para todas as famílias e crianças. Mas certamente, viajar com seus filhos, trará algo a eles que nenhuma outra coisa proporcionará.

Que meus filhos foram “treinados” desde pequenininhos para viajarem longas distâncias, a se aventurarem um pouco mais. A lidar com seus medos e principalmente terem muito cuidado com o caminho que vão traçar.

Tanto a Sofia, quanto o Tiago começaram a viajar bem cedo. Já contei para você que o Tiago fez a primeira viagem dele para o Rio Quente-Goiás com 2 meses, com direito a entrar na água quentinha com a mamãe e com o papai. Não achei os registros desta aventura. Mas vou contar, ele ama tanto este lugar e já falou diversas vezes, que gostaria de morar no Rio Quente.

Aos 5 meses, fomos até o interior do Maranhão, fazendo assim, 5000 km de carro. A Sofia com 2 meses estava na praia, claro que bem cedinho, pois o sol da Paraíba não brinca. E antes de falar do Canjica, preciso lembrar do Jalapão com bebê, que muitas empresas não aceitam crianças e assim que conseguimos o suporte necessário, fomos e amamos.

E hoje como empresa, já enviamos muitas famílias com crianças para se divertir nos maravilhosos fervedouros do Jalapão. Sinto uma felicidade imensa ter desmistificado a crença de que o Jalapão é um lugar onde crianças não podem chegar. Sempre digo, com pais amorosos, pacientes e cuidados, elas podem chegar onde bem quiserem.

Claro que antes de chegar, os pais devem ser respeitosos o suficiente para conhecer os limites dos seus filhos. Sempre converso muito com as famílias que desejam ir ao Jalapão ou qualquer outro destino com filhos.

Para ter a certeza que acima da vontade delas de conhecer qualquer local, saber se eles realmente conhecem tanto os seus limites, quanto os limites dos seus filhos.

O Complexo do Canjica é possível com as crianças?

Você já percebeu, se não pulou nenhuma linha acima, que a resposta é SIM e NÃO.

Seu filho, é uma criança tranquila? Você está disposto a carregá-lo? Está disposto a parar mais vezes caso ele se canse? Quer aproveitar a viagem para aumentar o vínculo com as pessoas mais importantes da sua vida? Está disposta a segurar a respiração, quando um obstáculo a frente é mais desafiador e passar a segurança necessária para que ele também confie em si?

Então, vamos, juntamente com seus filhos, AGARRAR O MUNDO.

Agora, você morre de medo de sair do conforto da sua casa? Mal deixa seus filhos correrem para que não cheguem nem perto do risco de cair e se machucar? Você não está disposto a tirar o seu filho da zona de conforto dele?

Aqui a neurocientista avisa: sair da zona de conforto, cria no cérebro novas conexões neurais que traz diversos benefícios para o corpo e para a mente. Aprender a desafiar o cérebro, ajuda a melhorar a sua memória, criatividade, foco e habilidades executivas.

Sem falar que ainda tem contato com coisas que não tem na cidade, como esse chuveiro que o Tiago foi espiar e estudar o que era.

Agora, após você ler todas essas perguntas e perceber onde você se encaixa, vamos para a cachoeira mais desafiadora para nós até hoje: Complexo do Canjica.

Todos os guias estão dispostos a levar você ao Complexo do Canjica com as crianças ou com senhoras de idade?

É claro que não. Pois eles não vão colocar o trabalho deles em risco, sendo responsável por isso. Mas afirmo que turistas mais novos em idade e também não tão atentas onde pisam, podem se machucar. Ou seja, não é a idade que trará a certeza que você não vai se machucar.

Percorremos 9,5 km de trilha. Minha mãe, conhecida como Dona Maria, 76 anos, consciente dos riscos de está ali e disposta a fazer aquela trilha, teve tanto cuidado que não ganhou nenhum arranhão.

Meu marido, consciente da responsabilidade de fazer 9,5 km com o Tiago nos ombros e atento aos riscos e possibilidades de escorregar, não vacilou e saíram sorridentes e felizes da trilha sem nenhum aranhão e aproveitaram a água fria para brincarem e fortalecer ainda mais o vínculo e a confiança.

Eu aproveitei os 9,5 km para conversar muito com a Sofia (hoje adolescente), aumentando ainda mais o maravilhoso vínculo que hoje temos uma com a outra.

Acredite: Não é uma trilha fácil, mas certamente vai levar você para um dos lugares mais lindos que já viu.

Como chegar ao Complexo do Canjica?

Complexo Canjica fica localizado a 74 km de estrada de terra de Cavalcante.

E a estrada é tranquila? Posso ir com qualquer carro?

Eu contei para você como é a estrada do Jalapão e certamente os turistas se preparam muito para ela e negligenciam as estradas para a Chapada dos Veadeiros.

Embora, algumas estradas da Chapada sejam muito mais complexas, como é o caso da estrada que leva até o Complexo do Canjica.

No post de Cavalcante eu contei, sobre a ponte onde um grupo se acidentou ao descer a serra rapidamente e justamente no final, onde tem uma curva, caíram dentro de um buraco.

De fato, estrada, seja ela qual for, sempre demanda cuidados, então tenha cautela e de preferência, vá com algum guia que conheça o local.

Para chegar até o Complexo do Canjica tem uma subida bem inclinada, e difícil de percorrer, caso você não saiba como engatar a primeira e fazer os movimentos corretos para conseguir mais aderência. (Confirmei com o marido se não escrevi besteira, já que o piloto aqui é ele.)

Que carro usar para ir ao Complexo do Canjica?

Estávamos desta vez no Jeep, automático, já que a princípio não íamos ao Complexo do Canjica. Mas como essa era uma das cachoeiras que eu mais queria conhecer, ao falar com a Miriam, do Hostel Portal da Fadas e com o seu marido Rogério, que já ia fazer um passeio até lá, a vontade só aumentou.

Mas o Rogério falou: “Talvez este não seja o melhor carro para ir até o Complexo do Canjica.” Perguntei qual era o melhor carro? Certamente um Uno – eles responderam.

Como eu arrumaria um Uno de última hora? Perguntei se eles não conheciam ninguém por ali que pudesse nos alugar um. Eles se entreolharam e riram. Insistir na pergunta e eles tinham um Uno.

Iupiiiii. Lá fomos nós para mais uma aventura.

Vamos de Uno para o Complexo do Canjica.

Acordamos cedo e percorremos 1 hora de 30 minutos mais ou menos (talvez você gaste menos ou mais, já que tudo depende da sua velocidade) de estrada de chão, com bastante poeira e muita aventura. Não é uma estrada de corrida e nem de Rally. Vale a pena ir devagar e aproveitar a vista.

Papai perguntava para as crianças, querem que ligue o ar condicionado? Sim – eles respondiam. Ele se virava e começava a soprar. Perguntava: Querem que ligue a música? Sim. Então, cada um escolhe uma música e cante para todos nós ouvirmos.

É sobre isso que falamos tanto aqui no Agarre o Mundo, viva a experiência, sinta o lugar, sorria com o que puder e crie lembranças, afinal o que seria de nós sem elas? O lugar depende da energia que você carrega até ele.

Na volta viemos com os vidros abertos, apreciando a vista e a natureza e na subida, adivinhe. Está voltando um Renegade de ré, porque não conseguiu subir. Acompanhamos de baixo toda a movimentação.

O guia de outro carro que estava indo no caminho contrário, desceu e subiu o carro para estes turistas (um rapaz e duas meninas). Mas, como ele não colocou o carro num local bem reto, já conto o que aconteceu.

E nós, como subimos de Uno? Bem, obrigada. Sem nenhum sofrimento. Fomos aplaudidos tanto pelo guia e seu grupo que havia ajudado o rapaz, como pelo próprio rapaz e as meninas.

Como estávamos um pouco a frente do Rogério, o nosso guia, pois queríamos manter as janelas abertas e respirar ar puro sem tanto pó, descobrimos depois de chegar na pousada, que o carro (Renegade) havia descido de ré mais uma vez. E desta vez foi o nosso guia que teve que subir o carro para ele.

Então, se puder, alugue um carro e vá de 4×4. Se não puder, não vá com carro automático, a não ser que você saiba como desligar o controle de tração e colocar no manual, caso tenha essa opção. Ou arrume um Uno, certamente assim não vai ficar na mão. Ou melhor, na estrada.

É preciso guia?

Guia Rogerio, Complexo do Canjica
Guia Rogerio ensinando alguma coisa para a Sofia e a vovó

Se você está viajando com crianças e idosos (com boa mobilidade e disposição), a resposta é SIM. Se você está sozinho, a resposta é SIM também. Ou seja, é obrigatório contratar um guia para entrar na fazenda e fazer a trilha.

Sem falar, que não é uma trilha simples de se fazer, tem muitas pedras e tenho certeza absoluta que ali é um lugar onde você não desejará se machucar.

Super recomendo o Rogério. Primeiro porque é super divertido. Segundo, muito cuidadoso. E por fim, como a maioria dos turistas que ficam no Portal das Fadas vão para se divertir nas cachoeiras, eles acabam fazendo grupos para as cachoeiras e isso favorece ainda mais o custo-benefício para o cliente.

E não poderia deixar de falar, indica os melhores lugares para tirar fotos e muitas das fotos que você verá neste post foram tiradas por ele.

A primeira cachoeira do Complexo do Canjica é ótima para crianças: Poço Verde

Após percorrer uma parte da trilha, com toda a certeza, a parte mais fácil, você vai chegar a primeira queda d’água, chamada Poço Verde.

Nada tão grande, mas com uma cor incrível e uma transparência impressionante. A maior profundidade do poço é de 6 metros e acredite, você verá o fundo dele.

Sabe aqueles peixinhos lindos que são bem ousados e adoram dar uma beliscadinha? Tem vários, mas estes são mais gentis que os da Lagoa do Japonês, certamente têm menos fome.

O legal é que nesta cachoeira temos uma “banheira” de hidromassagem, um lugar para prática de mergulho e ainda uma parte rasinha para as crianças brincarem com segurança.

A segunda cachoeira do Complexo do Canjica

Uma cachoeira fotogênica, isso mesmo, apenas para foto, não que não pudéssemos entrar, apenas porque o melhor ainda estava por vir.

Me peguei pensando, porque não ficamos por aqui mesmo? Mal eu sabia que o final seria o melhor, como disse o guia Rogério, um carioca para lá de divertido: ainda falta a cereja do bolo e o Cerejão.

As crianças vão gostar da terceira parada do Complexo do Canjica

Neste local aproveitamos mesmo, não sei se tem um nome essa queda d’água, mas quando você chegar saberá qual é. Entramos debaixo da cachoeira (Sofia, o papai e eu).

E obviamente que a vovó e o Tiago também se divertiram muito. Tivemos realmente momentos lindos. Onde nada, nem ninguém além dali importava naquele momento.

Aqui foi o lugar que mais nos divertimos, rimos muito e tiramos algumas fotos. Afinal, sempre digo, quando o lugar e a energia está boa demais, pouco tempo temos para tirar fotos. Mas consegui alguns registros para você, já que também trabalho com viagens.

Só peça para as crianças não pisarem nas pedras grandes, pois são bem escorregadias, mas as pedrinhas pequenas são excelentes para eles aumentarem suas habilidades sensoriais. E que criança não gosta de ficar pegando em pedrinhas?

Dica Agarre o Mundo: Não leve nada da natureza, nenhuma pedrinha que seja. Aprecie, usufrua e deixe tudo no seu devido lugar.

Agora o Cerejão do Complexo do Canjica: Cachoeira do Canjica vista de cima

Sem sombra de dúvida, este é o pedacinho mais difícil de percorrer, muitas vezes tivemos que nos sentar para então conseguir colocar os pés na pedra abaixo. Mas conseguimos, todos ilesos.

Cachoeira do Canjica- Chapada dos Veadeiros

Por mais que eu descreva e consiga levar você o mais próximo possível da sensação que senti, nada melhor que experimentar você mesmo tal emoção.

O lugar é SENSACIONAL. Um poço modesto, que inclusive não aconselho ficar em pé na borda, pois as pedras ficam extremamente escorregadias e você não vai querer despencar de 60 metros de altura, acredito eu!

Então aproveite a borda infinita, se maravilhe com as belezas deste lugar, recarregue todas as energias possíveis, pois ainda vai precisar e muito delas, para retornar.

Aprecie a grandiosidade deste lugar, até onde a vista alcançar. E se lembre de mim, quando cerrar um pouco os olhos para tentar enxergar o mais longe possível. E não deixe de voltar aqui e deixar o seu depoimento.

Claro, aproveite para entrar em contato profundo com a natureza, ouça os sons, não fique apenas concentrado nos registros fotográficos, sinta, viva, respire e agradeça.

Sinta gratidão pela sua vida, pela sua disposição, por seus olhos para poder apreciar tamanha beleza da natureza. E sempre, respeite a natureza e os seus limites.

Cuidado com as crianças nesta parte do Complexo do Canjica

Repito, não ouse ir queda a baixo. Um cidadão se deitou no penhasco para ver o que tinha para baixo. E não satisfeito, ficou em pé nas pedras escorregadias. Não faça isso.

E fique atento as crianças, caso esteja com elas, pois são leves e mesmo que não tenha uma grande quantidade de água que caminha para a queda, se a criança não sabe nadar, pode acabar escorregando.

Assim como comecei o artigo contando as minhas aventuras de criança, posso afirmar que foram elas que me deixaram tão cautelosa, principalmente em relação aos meus filhos.

Desfrute da vida, mas se mantenha em alerta sempre, para não chorar depois.

E ainda tem a Cachoeira do Canjica vista de baixo. Mas optamos por não ir, pois o retorno seria ainda mais puxado para o papai e para a vovó.

O retorno, mesmo sem ter ido ver a cachoeira de baixo foi bem puxado. O guia Rogério alertou: subam em silêncio para conseguirem ter fôlego. Seguimos batendo papo e logo percebemos que o melhor era mesmo ficar caladinhos (risos). Por sorte, ainda tínhamos água para molhar a garganta.

Onde se hospedar para visitar o Complexo do Canjica com crianças?

Cavalcante é o local onde você deve se hospedar para ir até o Complexo do Canjica.

Mais uma vez optamos ficar no Hostel Portal das Fadas, e desta vez, quem ficou na casinha, foi a vovó e a Sofia. Confesso que ambas amaram. A vovó comentou: “Nunca imaginei que a essa altura do campeonato estaria dormindo numa casinha de boneca!”

Hostel portal das fadas, Cavalcante, Chapada dos Veadeiros, Agarre o Mundo

Viajar é muito bom e tudo pode ser mais divertido e mágico quando estamos com as crianças.

Motivação para praticar a gratidão.

Gratidão a Miriam e a sua família por momentos tão especiais. Afinal, tivemos a oportunidade de dormir na cabaninha das fadas até os próximos hóspedes chegarem no dia seguinte.

Emprestaram o carro, que se tornou uma das nossas memórias mais divertidas. Miriam ainda me emprestou seus tênis, pois eu levei os tênis errados da Sofia, assim dei a ela os meus e se fosse preciso iria descalça. (risos)

Além disso, o Rogério nos colocou no grupo que iria até o Complexo do Canjica e teve toda a paciência e cuidado do mundo com a nossa senhorinha de 76 anos. Até perceber que ela, o que fez, foi nos dar um tapinha nas costas e talvez uma vergonha se ousássemos reclamar da trilha pesada.

Assim o recado era: “Arrumem força, pois a Dona Maria aqui, está toda faceira subindo e descendo as pedras com toda energia e disposição.”

E claro, aproveito para agradecer o delicioso café da manhã feito com tanto amor, que percorremos a trilha sem sentir fome, mesmo carregando tanta comida, que acabou voltando na mochila. Digo, o que nos preencheu não foi o cuscuz ou o pão de queijo, mas o amor oferecido pela manhã.

Café da Manhã, Hostel portal das fadas, Cavalcante, Chapada dos Veadeiros, Agarre o Mundo

Conclusão

Coloque todos os prós e contras no papel e decida que tipo de experiência deseja viver. Meus filhos têm hoje 4 e 12 anos. Tiago foi carregado e Sofia fez todo o percurso bem tranquila. Repito, escolha as melhores atrações de acordo com a sua disposição e dos seus filhos. Pois segurança sempre em primeiro lugar.


E aí, vamos conhecer mais um pedacinho do Brasil,

com o nome Chapada dos Veadeiros?

Se você gostou deste artigo, mas achou arriscado ir com seus filhos, não se preocupe tem cachoeiras mais tranquilas para visitar: Cachoeira Loquinhas,Chapada dos Veadeiros, vá conhecer, Cavalcante na Chapada dos Veadeiros: o que conhecer, Chapada dos Veadeiros com ou sem crianças: o que saber antes de ir.


Selamos pela qualidade da sua leitura

Optamos por manter o site limpo de propaganda, pois acreditamos na nossa missão de levar um conteúdo de qualidade. E assim, não seria justo com o leitor ter várias caixas de distrações.

Agora, se você deseja colaborar com o site do Agarre o Mundo, pode organizar toda a sua viagem através dos nossos parceiros. E você não gastará nenhum real a mais por isso e ainda ganhará desconto em alguns serviços.

Parceiros Agarre o Mundo

Saiba que podemos lhe ajudar em toda a sua viagem, e ainda se desejar um roteiro para curtir sua viagem, sem nenhum trabalho para organizar, basta contactar com o Blog.

Montamos desde roteiro personalizado e exclusivo conforme o perfil do viajante, até uma viagem completa, incluindo restaurantes, dicas de compras, chip, etc.

Beijinhos e até mais.



Kenia Miranda

Brasiliense, sempre disposta a aprender e descobrir o novo, com um apreço enorme por novas culturas e costumes. Apesar de ser formada em Odontologia, está sempre buscando novos caminhos e novos aprendizados. Uma das suas frases preferidas: "Minha alma é muito livre para ficar presa seja lá no que for."

Veja também

Compartilhe


2 comentários em “Complexo do Canjica é possível com crianças?

Deixe uma resposta

VOLTAR AO TOPO
error: Content is protected !!