" /> Chapada dos Veadeiros com ou sem crianças: o que saber antes de ir - Agarre o Mundo

Chapada dos Veadeiros com ou sem crianças: o que saber antes de ir

Chapada dos Veadeiros, Agarre o Mundo
escrito por Kenia Miranda

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é o destino perfeito para quem busca paz, descanso e muito contato com a natureza. A região conta com belas cachoeiras, desfiladeiros, cânions e até formações de cristais de quartzo.

Além disso, você poderá desfrutar do contato com plantas lindas, paisagens deslumbrantes e a vida selvagem da região: veados, tatus, jaguares, tucanos, araras, iguanas, entre outros.

Para lhe ajudar a desbravar mais um destino no Brasil, preparamos este artigo cheio de dicas, cachoeiras, pousadas e tudo o que fazer na Chapada dos Veadeiros. E para você que deseja visitar cachoeiras com crianças, saiba quais são as melhores e mais seguras.

Onde fica a Chapada dos Veadeiros?

Fica localizada no meio do Cerrado do estado de Goiás. Se pretende alugar um carro em alguma cidade próxima, saiba que Brasília, está a cerca de 230 km.

A região é composta por 8 municípios que compõem a Microrregião da Chapada dos Veadeiros que  são: Alto Paraíso de Goiás, Campos Belos, Cavalcante, Colinas do Sul, Monte Alegre de Goiás, Nova Roma, São João D’Aliança e Teresina de Goiás.

A saber, as principais bases de apoio para os turistas são as cidades: Alto Paraíso de Goiás, a Vila de São Jorge e Cavalcante. Esta última ganhou destaque por conta da Cachoeira de Santa Bárbara e sua cor azul. Mas saiba que a região tem muito a oferecer.

Mapa da Chapada dos Veadeiros, Agarre o Mundo

As cidades de Alto Paraíso de Goiás e São Jorge têm uma vida noturna mais badalada, com vários restaurantes, bares e feirinhas. Já em Cavalcante, a vida é mais pacata e tranquila, mas que também está se desenvolvendo.

O Cerrado

Nascida em Brasília, conheço um pouco das plantas e frutas do Cerrado. O Cerrado é considerado o segundo maior bioma da América do Sul e o maior bioma do Brasil. Muitos o denominam Savana brasileira. Possui uma das formações vegetais com maior biodiversidade.

Apesar disso, tristemente informo que atualmente é o segundo bioma do Brasil mais ameaçado. A saber, cerca de 41% do tamanho original já foi devastado segundo informações do Ministério do Meio Ambiente.

Cresci ouvindo minha mãe falar sobre as propriedades medicinais das plantas do Cerrado. Então fazer uma trilha, com alguém, que entende de plantas e já esteve com as raizeiras e curandeiras foi um super aprendizado.

O Cerrado é o berço das águas de grandes bacias hidrográficas tanto do Brasil como da América do Sul. Embora o crescimento das cidades e pousadas na região tragam um desenvolvimento econômico, traz também prejuízos para o meio ambiente.

Chapada dos Veadeiros, Agarre o Mundo

Não só ouvi histórias como também presenciei locais onde não deveria ter construções ou estarem sendo desmatadas. Assim aproveito para que você faça uma reflexão sobre o turismo sustentável.

Trilha não combina com ressaca

Cuidado, caso você resolva ir aos bares a noite e pretende fazer trilhas no dia seguinte.

Tanto em Alto Paraíso, quanto em São Jorge, existem vários bares. E muitas pessoas, acabam sentando e fazendo uso de bebidas alcoólicas.

O problema acontece depois, pois a ressaca se dá após o consumo exagerado de bebida alcoólica. Assim a pessoa acorda no dia seguinte com muita dor de cabeça, dor nos olhos e enjoo, por exemplo.

Esses sintomas acontecem devido à desidratação provocada pelo álcool no organismo e pelo trabalho excessivo do fígado para eliminar o álcool do sangue.

Mas como a chapada pede trilhas, muitas pessoas acham que fazer uma trilha pode ser uma boa, inclusive para curar a ressaca. Mas se para fazer uma trilha já é necessário um consumo a mais de água, triplique esta quantidade estando de ressaca.

Sem falar do sol que é escaldante na região. Então o que pode acontecer? Desmaiar na trilha. E acredite, o @edson_guia me contou que acontece muito mais do que as pessoas pensam.

O que fazer na Chapada dos Veadeiros?

Certamente, o melhor da Chapada dos Veadeiros é a conexão com a natureza. Banhos refrescantes nas cachoeiras de água gelada, trilhas, além de apreciar o pôr do sol no meio do cerrado.

Se você pensar “Estou fora, não gosto de água fria”. Respondo que igualmente vale a pena conhecer a região. E saiba que existem também piscinas de águas termais na região.

Sem falar que a região conta com tratamentos místicos e holísticos. Você ainda desfrutará de uma culinária deliciosa que só tem no cerrado.

Agora saiba que independente das atrações escolhidas, a Chapada é um destino para se percorrer sem pressa, trocar energia boa e voltar para casa renovado e com vontade de revisitar a região, assim que puder.

Experimente. Mergulhe fundo nas águas geladas do centro-oeste e aproveite cada segundo da sua viagem.

Chapada dos Veadeiros e cachoeiras com crianças

Sou adepta do “respira; inspira; expira e não pira”. Colocar as crianças em contato com a natureza, favorece o ensinamento de valores.

Sempre digo, que é uma verdadeira aula de biologia, geologia, geografia e história em “locus”.

Claro que é possível fazer trilhas e conhecer cachoeiras com crianças. Mas digo sempre, respeite também os limites dos seus filhos, o cansaço deles é real, então saiba que você deverá ter a força e disposição necessária para carregar, caso seja necessário.

Agora sobre as trilhas, vale a pena ter as informações corretas sobre tempo de percurso, dificuldade, segurança para os pequenos.

Mas a notícia boa é que existem várias cachoeiras que se precisa caminhar muito pouco, para ter este contato mais próximo da natureza.

Cachoeiras em Alto Paraíso – Chapada dos Veadeiros

Decidi separar os artigos pela localização, então este será das cachoeiras próximas de Alto Paraíso e na sequência, farei um somente das Cachoeiras próximas do município de Cavalcante. E a medida que for visitando outras cachoeiras que são possíveis a visitação com crianças, vou adicionando nos devidos artigos.

Alto Paraíso, Chapada dos Veadeiros, Agarre o Mundo

1. Cachoeira dos Cristais

Um lugar delicioso para se passar o dia e aproveitar as cachoeiras com as crianças. O primeiro poço, chamado Cachoeira da vovó é bem isso mesmo. Recomendado para as crianças e idosos.

O negócio é o seguinte, quando você chega acaba sendo estimulado a ir para as pequenas quedas, até chegar na maior queda que é o Véu de noiva. Até porque são apenas 500 metros do início ao fim.

Assim fizemos, e claro que conseguimos com um pequeno de três anos e uma senhora de 73 anos, mas saiba que a trilha não é fácil, nem para descer, nem para subir. Principalmente se estiver com pessoas nestas faixas etárias.

Pois a trilha é de pedra e mesmo descendo com atenção os tênis podem prender e você acabar caindo. E cuidado quando chegar ao Véu de noiva e todas as cachoeiras que for visitar, pois a pedra molhada constantemente fica muito escorregadia.

Como chegar? A Cachoeira dos Cristais está localizada a 8 km de Alto Paraíso, no sentido Cavalcante. O caminho segue pela GO-118 rumo a Cavalcante por 5 km, tem uma placa, então vá devagar para não passar direto.

A entrada fica a direita, onde você vai percorrer mais 3 km de estrada de chão, sem grandes problemas, sendo possível percorrer em carros pequenos, ou seja, sem necessidade de carro 4×4. No local, há amplo estacionamento.

Valor da entrada: R$ 25 por pessoa, com acesso a todas as cachoeiras. Não é necessário contratar guia para visitar o local.

Achei o valor bem razoável, pois o espaço é bem cuidado, com mesas, cadeiras e um restaurante. Além disso tem um redário para descanso.

2. Encontro das Águas

Um lugar incrível de tirar o fôlego, mas confesso que não perdi o fôlego ao vivo e a cores.

Explico, sempre brinco com meu marido. Ou sou fotógrafa ou cuido dos meus filhos. Entretanto, ele não curte água fria, então me largou na beira do rio com as crianças e subiu com o Edson_guia até o cânion para fotografar.

Agora imagine a minha cara, quando vi as fotos, já na pousada. Queria voltar imediatamente para presenciar tamanha beleza.

O acesso até o Encontro das Águas, que é uma propriedade particular, fica na estrada principal em direção a Colinas do Sul a cerca de 20 km de São Jorge.

O nome Encontro das Águas, se dá pela junção do Rio São Miguel e Tocantinzinho. Embora não seja uma cachoeira, vale muito a pena a visita com crianças. A saber, este, que mergulhei, segundo o guia era o Tocantinzinho.

Ao longo do rio formam algumas piscininhas. Se você não estiver com crianças saiba que existe a possibilidade de subir até os cânions e descer rio abaixo com um espaguete de bóia, mas não foi desta vez. E não foi apenas pelas crianças, mas porque ultimamente eu ando com um pouco de receio em relação a rios.

A trilha até lá é tranquila, apesar de ter várias pedrinhas no caminho. Agora a estrada até o estacionamento, é um pouco puxada, estávamos com um carro 4×4, e fiquei pensando se o meu carro aguentaria a subida no retorno. Atenção: Fomos em Julho (2021), ou seja, início da seca no cerrado, pegando a estrada com bastante pó.

Se for no período de chuva, certamente será ainda mais difícil. Pois pode ficar um pouco escorregadia.

O valor da visitação: R$ 30,00 por pessoa. Não necessita de guia, mas vou falar bem sinceramente, talvez sem o guia, o meu marido não tivesse ido até a parte mais alta da trilha. Pois eles estão bem mais habituados aos lugares e rotas existentes na região.

3. Termas de Jequitibá

Existem três termas próximos na região: Termas do Éden, Morro Vermelho e o Termas do Jequitibá – a mais recente. Todas elas ficam na cidade de Colinas do Sul e estão aproximadamente a 15 km do povoado de São Jorge.

Quando ouvimos o termo “Termas” automaticamente vem a cabeça água quente, e para mim, que adoro o Rio Quente Resorts, já penso naquela água quente mesmo.

Então para que você não se decepcione ao entrar na água, já aviso que a água não é quente, entretanto, não é fria. Sempre uso as crianças como parâmetro, e elas entraram e adoram a água “morninha”.

Entre os três termas existentes, este é o que tem a maior piscina, segundo o guia. Vale a pena a visita, caso esteja com crianças, certamente vão se divertir muito.

O local tem restaurante e servem uma comida bem gostosinha. Então é um local para passar mesmo o dia. Ou ir após uma trilha mais puxada, como fizemos.

Valor cobrado na visitação: R$ 40 reais por pessoa.

4. Fazenda Volta da Serra

A Fazenda Volta da Serra, propriedade do Sr Lauro, localiza-se entre os municípios de São Jorge e Alto Paraíso. Ou seja, cerca de 8 km de São Jorge e 27 km de Alto Paraíso.

Não necessita de guia para se fazer a trilha, mas eu amei fazer com o Edson_guia porque ele fez a nossa caminhada ser mais leve e cheia de aprendizados sobre as plantas do cerrado.

O acesso é fácil e leva até o receptivo, onde anotam seus dados e cobram o valor da visitação (R$ 30,00 por pessoa). Como o Sr. Lauro, também planta café e trabalha com apicultura, é possível degustar e comprar o café e o mel, além de alguns frutos do cerrado, como a castanha de baru, dependendo da estação.

No mesmo passeio você pode visitar: O Poço das Esmeraldas, Cachoeira do Cordovil e Cachoeira do Rodeador.

Placa, chapada do Veadeiros, Cachoeiras, Agarre o Mundo

É difícil falar sobre a facilidade de uma trilha, pois o que para um pode ser fácil, para idosos, crianças e pais que carregam crianças de colo, bem difícil.

Para visitar todas as cachoeiras, são no total 8 km ida e volta. Tem subidas derrapantes por conta das pedrinhas, caso vá no período da seca. E deixo aqui uma dica de ouro: Muito cuidado se for visitar no período chuvoso.

Primeiro porque o rio enche e não é possível atravessar, depois pelo perigo de tromba d’água. Então o melhor é visitar nos meses de junho e julho, já que em agosto a cachoeira do Cordovil já não tem água caindo na cachoeira.

Já em setembro e outubro, apesar de ser o período de maior seca, você terá o prazer de fazer a trilha saboreando algumas frutinhas do cerrado: cagaita, mama cadela, mangaba, caju, entre outras. Além de apreciar as lindas flores.

Poço das Esmeraldas

Cachoeira do Cordovil

Cachoeira do Rodeador

Cachoeira do Rodeador, Chapada dos Veadeiros, Placa, chapada do Veadeiros, Cachoeiras, Agarre o Mundo
Foto: @edson_guia

5. Jardim de Maytrea

É um lugar lindo, onde muitas pessoas param na beira da estrada para assistir o pôr do sol. Não fiz o mesmo, mas parei durante o dia e aproveitei para fazer algumas fotos lindas do local.

Está localizado ao lado da GO-118, entre Alto Paraíso e São Jorge. Dali é possível admirar a beleza do cerrado com vários morros, como o Morro da Baleia, Morro do Buracão e vários Buritis, que aliás são lindos e estão sempre com suas folhas verdinhas.

Como disse anteriormente a Chapada tem toda uma misticidade, e para muitos o Jardim de Maytrea é um portal místico para outra dimensão. A mim, não passou nada, mas não precisamos ir para outra dimensão, para admirar tamanha beleza.

Atenção, no Jardim mesmo não é permitido entrar, para a proteção e regeneração do mesmo. Mas não precisa mesmo entrar para admirar. Eu sou arteira, escalei uma pedra e além de tirar três fotos, admirei a paisagem e senti a energia do lugar e claro aproveitei para colocar meus pés no céu, afinal, segundo a lenda: “O céu é o limite.”

Necessidade de guia na Chapada dos Veadeiros

Na verdade muitas das cachoeiras, principalmente as destinadas para crianças e idosos não tem necessidade de guia. Mas vou falar aqui a minha percepção e sobre o que presenciei.

Tanto no Encontro das Águas, quanto nas cachoeiras existentes na Fazenda Volta da Serra, não havia nenhuma recomendação para ir com guia, pela facilidade da trilha. Mas daí ,vem o pulo do gato.

Durante todo o passeio o Edson, o guia que nos acompanhou, foi nos dando uma aula de ensinamentos: históricos, culinários, sobre plantas locais e muitas delas medicinais. Até aqui você pode dizer, não quero pagar para aprender nada. Tudo bem!

Mas além disso, garanto que eu não teria vivenciado várias experiências maravilhosas na Chapada. Olha o que me passou.

Quando estávamos no Poço das Esmeraldas, que aliás é lindo, eu olhei e falei para Edson, vamos lá do outro lado. Ele me olhou e perguntou: Que outro lado? (risos)

Eu estava jurando que havia um lado para entrar na água, direto do Poço, ele sorriu e falou: Tem que passar por aqui. Ou seja, para chegar eu teria que entrar na água ali mesmo, atravessar as pedras. (risos)

As outras pessoas que haviam chegado depois de mim, também não entrariam na água, até me verem entrar e mostrar o caminho.

Nisso chegou um grupo de 4 rapazes. Neste momento o Guia estava saltando de uma pedra, bem próxima ao poço. Quando de repente um deles saltou do alto de outra pedra.

Então subiu para saltar novamente e fazer outro vídeo para sua rede social, já que a primeira exibição não havia sido filmada. Então, lá do alto perguntou ao Edson: Será que posso saltar de cabeça daqui? Para tudo.

O rapaz estava colocando a responsabilidade sobre uma pessoa que ele nem ao menos sabia se conhecia o local. Enfim, eu fiquei perplexa e me veio a cabeça a quantidade de turistas que morrem em busca do melhor ponto, muitas vezes o mais arriscado em busca da melhor foto para apenas as pessoas verem.

Tromba D’água

Uma das coisas que mais me causa medo é a bendita tromba d’agua. Não é aquele medo que me paralisa, mais é um medo que me torna cautelosa. Me faz olhar mais vezes para o céu nas proximidades e observar os sons.

Quando eu tinha uns 9 anos, estávamos na chácara do meu pai, tomando banho no rio, como costumávamos fazer sempre. De repente ouvi um barulho bem alto e vi a água começar a ficar suja.

Saí correndo da água e gritei para meus dois irmãos mais novos sairem bem rápido também. Foi tudo muito rápido e assim que subimos um pouco a água veio arrastando tudo.

Sempre digo para minha mãe, que se a minha intuição aos 9 anos não tivesse bem apurada, ela estaria nos procurando até hoje pelas águas do Brasil.

O Edson, me contou que uma vez estava com mais três meninas no Poço das Esmeraldas quando de repente o rio começou a encher rapidamente, ele orientou uma das meninas que estava do outro lado. Entretanto o medo dela foi tanto que ela ficou parada vendo a água subir por suas pernas.

Ele rapidamente saltou, atravessou e pegou a menina e foram até uma pedra. Enquanto isso as outras duas ficaram do outro lado. Ali ficaram por 3 ou 4 horas, até o rio baixar, para então atravessarem e irem embora.

Então prefira a seca para conhecer a Chapada dos Veadeiros, e se for no período chuvoso atenção redobrada, as fendas nas pedras estão ali para mostrar o poder e força das águas que por ali passam.

O que comer nas trilhas?

Digo que o bom devemos sempre compartilhar. E aqui deixo o que para mim, foi uma das melhores experiências. Como meu filho ainda é pequeno, sempre carrego uma mochila com comidinha, frutas e água.

Desta vez como íamos fazer o passeio guiado, o Edson nos disse que já estava incluso no pacote, as comidinhas de trilha.

Sem saber muito bem o que viria, no primeiro dia, fomos e igualmente levei tudo como sempre faço. Agora confesso, que grata surpresa foi receber os kits.

Comida de trilha, Chapada dos Veadeiros, Agarre o Mundo

Preciso começar pela apresentação. A Bruna, @comidadetrilhas, esposa do Edson que faz as comidas, ensaca todo o lanchinho, que são alimentos cheios de fibras, proteínas, carboidratos e vitaminas.

Ou seja, tudo que você precisa para manter a disposição até o final do seu dia de aventura.

Os sanduíches possuem sabores originais.

Assim que peguei o saquinho e abri, já fui surpreendida pelo cheiro.

Minha frase preferida cabe perfeitamente aqui: Primeiro, Olho, se gostar, Cheiro, se gostar, Como.

E aqui acrescento, Gostei tanto que pedi os demais sabores para o dia seguinte.

Provei o Betacaro-Terra (pasta agridoce de banana da terra, com pimentão vermelho defumado, filé de beterraba, tomatinho assado, salada (alfafa) e azeite);

O Cogumestíveis (Ricota temperada com masala e cenoura, hambúrguer de grão de bico com shimeji, tomatinho assado, salada e azeite);

O Salaam ALeikum (ricota temperada com zaatar e azeite, abobrinhas e berinjelas confitadas, tomatinho assado, salada e azeite; e por fim e tão saboroso Sebo na Lomba (Chutney de abacaxi com pimenta, lombinho defumado, parmesão ralado, tomatinho assado e salada).

Ah, tem um que tem pequi, e este ingrediente me fez pular este sanduíche. Por isso, não provei, porque não curto muito o cheiro e gosto do pequi, mas o Edson me convenceu a provar numa próxima oportunidade. Ele me falou que o gosto do pequi não é tão forte.

Existe comida de trilha para criança?

Este foi um outro cuidado que achei super nota 10. Porque sabendo que nem toda criança gosta de provar novos sabores, ela faz um kit infantil, com um sanduíche de frango, cookie de jatobá, brownie sem glúten, banana chips e um pãozinho assado delicioso.

Comida de trilha, Chapada dos Veadeiros, Agarre o Mundo

Gratidão Bruna, @comidadetrilha, continue fazendo estes alimentos, nos trazendo sensações maravilhosas ao comer, ao sentir sabores e temperos do cerrado que eu não teria acesso na culinária tradicional. Certamente você conseguiu me causar uma memória afetiva pela Chapada dos Veadeiros com seus sanduíches.

Onde se Hospedar?

A Chapada dos Veadeiros oferece vários tipos de hospedagem. Algumas com mais conforto e luxo, como a Pousada Maya. Outras que oferecem uma verdadeira experiência com as suas casas na árvore, como a Mariri Jungle Lodge.

Outras mais simples, embora também lhe ofereçam grande conforto, como o Chalés Recanto Paraíso e as Kitnet´s da Deni.


Selamos pela qualidade da sua leitura

Optamos por manter o site limpo de propaganda, pois acreditamos na nossa missão de levar um conteúdo de qualidade e não seria justo com o leitor ter várias caixas de distrações. Entretanto, se você quiser colaborar com o site do Agarre o Mundo, pode organizar toda a sua viagem através dos nossos parceiros, e você não gastará nenhum real a mais por isso e ainda ganhará desconto em alguns serviços.

Parceiros Agarre o Mundo

Saiba que podemos lhe ajudar em toda a sua viagem, e ainda se desejar um roteiro para curtir sua viagem, sem nenhum trabalho para organizar, basta contactar com o Blog.

Montamos desde roteiro personalizado e exclusivo conforme o perfil do viajante, até uma viagem completa, incluindo restaurantes, dicas de compras, chip, etc.

Beijinhos e até mais.



Kenia Miranda

Brasiliense, sempre disposta a aprender e descobrir o novo, com um apreço enorme por novas culturas e costumes. Apesar de ser formada em Odontologia, está sempre buscando novos caminhos e novos aprendizados. Uma das suas frases preferidas: "Minha alma é muito livre para ficar presa seja lá no que for."

Veja também

Compartilhe


Deixe uma resposta

VOLTAR AO TOPO
error: Content is protected !!