" /> Bolo-rei: a autêntica receita portuguesa na sua ceia de Natal - Agarre o Mundo

Bolo-rei: a autêntica receita portuguesa na sua ceia de Natal

Bolo-rei: a tradicional receita portuguesa na sua ceia de natal
escrito por Sandra Hupsel

Bolo-rei: a autêntica receita portuguesa na sua ceia de Natal. Conhecido também como bolo de reis ou bolo de Natal, esta doçura reina no natal português há quase dois séculos.

No entanto, o bolo-rei não tem origem em Portugal. Apesar da receita que hoje conhecemos ser tão típica e característica dos portugueses, a verdade é que o bolo-rei, protagonista de lenda e de história, foi “adotado” pelos lusitanos.

Mas independente da origem ou nomenclatura, este bolo de massa fofa se destaca pela combinação dos seus ingredientes, pelas frutas cristalizadas, nos frutos secos, no sabor rico e intenso e até no açúcar em pó que o embeleza na decoração final.

E para contar tanto a história, quanto a autêntica receita portuguesa do bolo-rei, o Agarre o Mundo contou com a gentil colaboração de Guilherme Buest, do IG @tupantours, que é guia brasileiro em Portugal.

Bolo-rei: um bolo com história

De acordo com a lenda, o bolo-rei representa os três reis magos e os presentes levados ao menino Jesus. Assim, a côdea (casca ou parte externa) do bolo simboliza o ouro, as frutas cristalizadas representam a mirra e o aroma, o incenso.

Entretanto, a origem do bolo-rei reporta ao tempo das comemorações romanas de Saturnália – festival na antiga Roma para honrar o Deus Saturno.

A saber, eles tinham o hábito de eleger o “rei da festa” durante os banquetes, o que era feito adicionando uma fava seca (símbolo da fecundidade) numa torta redonda e quem achasse a fava, era o rei da festa.

A igreja católica, aproveitando que o evento ocorria em dezembro, decidiu convertê-lo para algo sagrado e relacioná-lo com o nascimento de Cristo e com uma Epifania, ou seja, com os dias 25 de Dezembro e 6 de Janeiro.

Mas o bolo-rei no seu formato atual, surgiu no reinado de Luís XIV, na França, para as festas do Ano Novo e do Dia de Reis.

Conforme a tradição francesa, adicionava-se ao bolo uma fava seca e um brinde de porcelana, normalmente uma figura da natividade do presépio.

Então, o sorteado com a fava, assumia o posto de rainha ou rei da festa, com direito a usar uma coroa, além de fazer um pedido.

Com a Revolução Francesa em 1789, o bolo-rei foi proibido, devido a conotação com a realeza. Diante disso, os pasteleiros alteraram o nome do bolo para Gâteau des Sans-culottes e assim, puderam manter a fabricação da iguaria.

Mas em 1870 as favas secas foram substituídas por favas de porcelana. Em seguida, por gatos e outros objetos considerados de “boa sorte”.

O bolo-rei em Portugal

Confeitaria Nacional Portuguesa Foto: @confeiarianacional

No ano de 1869, a receita francesa foi introduzida em Portugal pela Confeitaria Nacional de Lisboa, tornando-se uma importante tradição do período do Natal até o Dia de Reis.

Bolo-rei Confeitaria Nacional Portuguesa  Foto: @confeiarianacional

Nos dias de hoje, a receita do bolo-rei usada comercialmente não inclui o brinde e às vezes, nem a fava, mas em sua casa, poderá manter a tradição e dar um toque divertido à ceia do Natal.

A autêntica receita portuguesa do bolo-rei

Antes de tudo, lembre-se que é um bolo que requer paciência e tempo, pois precisa descansar e levedar. Contudo, quando pronto, seu aspecto é irresistível e ninguém lhe vai ficar indiferente.

Portanto, siga o passo-a-passo desta verdadeira receita portuguesa e surpreenda a todos no natal.

Ingredientes do bolo-rei

Ingredientes do bolo-rei Foto: confeitaria nacional
  • 150 g de açúcar
  • 750 g de farinha de trigo peneirada
  • 1 fava seca
  • 30 g de fermento granulado para pão
  • 175 g de frutas cristalizadas
  • 250 g de mistura de frutos secos (nozes, avelãs, amêndoas e passas)
  • raspas de laranja a gosto (em média 1 laranja pequena)
  • raspas de limão a gosto ( em média 1 limão taiti)
  • 150 g de margarina
  • 1 colher de sobremesa rasa de sal
  • 4 ovos
  • 100 ml de vinho do Porto
  • 1 ovo
  • 50 g de açúcar de confeiteiro

Modo de preparo

  1. 1. Pique as frutas cristalizadas e os frutos secos, mas tenha o cuidado de separar alguns para decorar o bolo. Misture tudo e deixe a macerar com o vinho do Porto.
  2. 2. Em seguida, dissolva o fermento de padeiro em 100 ml de água morna, junte-lhe 1 xícara de chá de farinha, misture bem, tampe com um pano e deixe levedar em lugar quente por 15 minutos.
  3. 3. Bata a margarina com o açúcar, as raspas de limão e laranja, junte os ovos, batendo um a um, e o fermento.
  4. 4. Quando tudo estiver bem ligado, adicione o resto da farinha e o sal, amassando até que a mistura fique elástica e macia. Então, junte as frutas e volte a amassar.
  5. 5. Em seguida, molde a massa em forma de bola, polvilhe-a com farinha e tape-a com um pano, deixando levedar durante 3 horas ou até duplicar de volume.
  6. 6. Coloque a massa num tabuleiro e faça um buraco no meio.
  7. 7. Introduza na massa um brinde à escolha (mas bem embrulhado em papel vegetal) e uma fava, deixe levedar mais 1 hora. Pré-aqueça o forno a 180º C.
  8. 8. Pincele o bolo com a gema de ovo batida e enfeite a superfície com os restantes de frutas cristalizadas e frutos secos.
  9. 9. Por fim, espalhe o açúcar em pó em 4 montinhos por cima do bolo e leve ao forno durante 35 a 45 minutos.
Bolo-rei antes de ir para o forno

Sugestão de harmonização

Escolha um vinho do porto velho, rico em frutos secos.

Dicas

Para retardar o seu ressecamento natural é aconselhável guardá-lo em um recipiente hermeticamente fechado ou então, envolto em papel filme.

Bolo-rei: a tradicional receita portuguesa

Em Portugal, quando o produto começa a perder a umidade, geralmente após o segundo dia da sua fabricação, costuma-se cortar em fatias e tostá-las. Fica perfeito!

Curiosidades

O bolo rainha, é uma alternativa ao bolo-rei, onde as frutas cristalizadas são excluídas. Teve início com os pedidos de clientes, que apreciavam a massa do bolo-rei, mas não gostavam das frutas cristalizadas.

Este ano, no início da campanha #DoceNatalCompreLocal, que visa sensibilizar o apoio aos negócios locais de Portugal, o Facebook fez uma pesquisa na sua página do país para descobrir os doces de natal preferidos dos portugueses.

O resultado final foi que o Bolo-rei se mantém “rei”, sendo o doce preferido da maioria portuguesa. Enquanto as rabanadas ocupam a segunda posição, seguidas pelos sonhos, o bolo rainha e os filhoses.


De fato, o bolo-rei é rico em ingredientes e sabor, e certamente, faz a diferença em qualquer mesa de natal, seja em Portugal, ou em terras brasileiras.

Agora, conta para gente, você já conhecia a história do bolo-rei? Já experimentou? Se não, sugiro que teste esta autêntica receita portuguesa e depois nos conte o resultado, certo?

E se desejar testar outros doces das terra lusitanas, já publicamos a receita do autêntico pastel de nata, que muitos confundem com o pastel de Belém.

Bom apetite e até breve!


Selamos pela qualidade da sua leitura

Optamos por manter o site limpo de propaganda, pois acreditamos na nossa missão de levar um conteúdo de qualidade e não seria justo com o leitor ter várias caixas de distrações. Entretanto, se você quiser colaborar com o site do Agarre o Mundo, pode organizar toda a sua viagem através dos nossos parceiros, e você não gastará nenhum real a mais por isso e ainda ganhará desconto em alguns serviços.

parceiros

Saiba que podemos lhe ajudar em toda a sua viagem, e ainda se desejar um roteiro para curtir sua viagem, sem nenhum trabalho para organizar, basta contactar com o Blog.

Montamos desde roteiro personalizado e exclusivo conforme o perfil do viajante, até uma viagem completa, incluindo restaurantes, dicas de compras, chip, etc.

Beijinhos!



Sandra Hupsel

Baiana, mora em Salvador. Sensível e curiosa, gosta de ler e estudar sobre vários assuntos. Especialista em nutrição clínica e oncológica. Sempre gostou de viajar e após experiências negativas com os pacotes prontos de viagem, passou a organizar suas próprias viagens, de familiares e amigos. "Se faz sentir, faz sentido,"

Veja também

Compartilhe


4 comentários em “Bolo-rei: a autêntica receita portuguesa na sua ceia de Natal

    1. Oiiii Maristela, td bem ? Que bom que gostou do post! Certamente teremos inúmeros assim. O Agarre o Mundo, quanto mais sabe, mais quer aprender, e é claro, compartilhando sempre com nossos leitores 😉

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

VOLTAR AO TOPO
error: Content is protected !!